O PLANETA EXISTE SEM A HUMANIDADE, MAS A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA. CABE ÀQUELES QUE TÊM CONSCIÊNCIA, ILUMINAR O CAMINHO – SEM SOLIDARIEDADE NÃO HÁ SOCIEDADE. UNIDOS SOMOS MAIS FORTES. CIDADE SUSTENTÁVEL JÁ!


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Sons do Universo Perfeito

Quando olhei a nuvem de tempestade armando, um filme passou pela minha mente: quantas vezes ao dia essa imagem se repete?
Um amigo que não existe. Um parente que deixa de existir. Uma floresta que deixará de existir. Um amor que muitos nem sabem que existe. Uma verdade que existe só no coração. Um planeta que pode deixar de existir a qualquer momento. Um relacionamento humano que teima em existir. Um relacionamento profissional que urge não existir. Um silêncio que não existe nem no Cosmo (a ciência já provou a sonoridade do Universo).
Ninguém foge à voz da verdade interior. Feliz aquele que a ouve, respeita, entende, decodifica e com profunda humildade corrige onde pode e deve ser feito.
Não existem sábios, mas “viajantes do amor próprio” – aqueles cuja vontade de conquistar a perfeição por amor e devoção à existência se entregam à busca eterna da verdade universal com a manutenção da dinâmica vital. Para esses o silêncio não existe porque a música da vida é bela demais e o êxtase é uma dança promissora que supera quaisquer infortúnios mundanos.
O que se quer impor, o que se quer calar, o que se quer ignorar, o que se quer esquecer, enfim, tudo isso para si mesmo e para outrem são ilusões, distúrbios que o nível de qualidade de vida oferece. Se o foco é ser perfeito, então não exista e não seja e não esteja em lugar algum onde haja um facho de luz que represente a generosa mão do “Universo Perfeito”! Boa semana para todos os que existem.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Foco do equilíbrio

As palavras borbulham como se tivessem uma poção para preparar no caldeirão do mundo, enquanto o planeta ferve com o aquecimento global misturando temperaturas das mais variadas origens e filosofias ao transformar a vida numa ficção, onde o final será o que fizermos no aqui e agora. Salvar o planeta neste momento representa lucidez, coragem, perspicácia, saúde mental e emocional, sobretudo inteligência. 
É preciso o raciocínio lógico a respeito dos “Maus” que ocupam o mesmo espaço dos “Bons” e não subestimar a inteligência de adversários que têm conseguido chacoalhar o mundo com mazelas e incoerências múltiplas. É só lembrar e também elucidar aos “superdevoradores” do planeta que o raio que cai aqui também cai ali e esperar, que os poderosos “cérebros malignos” demonstrem realmente a esperteza tão idolatrada no espelho. A linguagem ficcional se dá pelo simples fato remontar lendas sobre civilizações passadas onde às inúmeras batalhas resumiam os seus objetivos em conquistas tênues no foco da essência humana.
Ainda que possa parecer impossível é importante ressaltar que a vida jamais vai mudar de roteiro: esse dualismo histórico é sem dúvida alguma a engrenagem que estrutura a “Existência”, ainda que possa parecer estranho sempre haverá uma guerra para vencer, uma verdade para descobrir, uma vitória da bondade sobre a maldade simplesmente porque respectivamente uma é construtiva e a outra não. É preciso manter essa premissa e plantá-la no coração e na mente dos “Bons” a fim de que o equilíbrio da vida seja mantido: "Eu quero. Eu posso. Eu faço. Eu consigo. Assim é hoje e será sempre"!

domingo, 13 de novembro de 2011

O pão nosso de cada dia

Quando nos alimentamos, uma mensagem mental de agradecimento deve viajar junto com o alimento para dentro do corpo como um mantra: “eu agradeço o alimento material do meu corpo que ora ofereço na quantidade certa, assim como a ação do mesmo é estabelecer a saúde física plena desejada. Que o “Universo Perfeito” me permita sempre uma refeição farta em produtos nutritivos, bem como, eu prometo honrar esse momento, devotando no exercício da minha profissão a mesma oportunidade para outrem”.
 A partir da força dessa afirmativa, toda energia expandirá pelo corpo através da aura, haverá uma projeção no ar, dessas palavras na função de moralizar a conduta conosco e com a vida que nos envolve – uma responsabilidade social que começa por dentro e caminha em eco humano -, assim como nos proporcionará a visão do que é certo, saudável e justo num mundo onde poucos se alimentam e muitos estão comprometidos em corpos físico, mental e emocional.
Não há absolutamente oportunidade de participação de trabalho e intelecto numa população de desnutridos, deixando a filosofia de lado e as crenças, o ditado popular “saco vazio não para em pé” é justificativa óbvia mais do que comprovada pela ciência através das inúmeras organizações mundiais de saúde e afins, da mesma forma o raciocínio fica comprometido pela ausência de energia orgânica na ingestão da refeição minimamente necessária.
Enquanto o mundo briga pela economia que restringe carros de luxo e mansões de poucos, há um silêncio assustador e criminoso que permeia a humanidade com relação a um grupo, não muito pequeno, de famintos que sucumbem fisicamente diante dos nossos olhos passivos (ou quem sabe indiferentes), nem precisa correr o planeta para conhecer esse presente trágico, mas precisa de um coração verdadeiro e não um de plástico como a tecnologia transformou a humanidade.
A ideia de inovação tecnológica escorreu pelo o ralo como caminho de expressão e vida, porque toda e qualquer invenção deveria qualificar a “Existência” no planeta e não o inverso, logo, não é a arma que mata um homem no sítio de guerra ou urbano, mas os valores distorcidos de uma humanidade deveras doente emocional, mental e espiritualmente. Observemos tudo o que consumimos, adquirimos e coexistimos em produtos ou serviços nos mais variados ambientes, a fim de que a distribuição dos mesmos no mundo inteiro seja equânime, mais justa.
Que a partir desse instante a nossa consciência “estale” todas as vezes que extrapolarmos o consumo, na intenção de evitar o habitual desprezo do que seria alimento e usufruto de muitos, só porque estamos vazios de algo que esses produtos precisam peencher, mas obviamente não o fazem, pois evoluir é um movimento que age de dentro para fora. A vida através do planeta em sua massa, crosta, enfim, a Natureza nos ofereceu um exemplo de perfeição, só precisamos contemplá-los e respeitá-los para retornarmos ao nosso “Eu Superior” tão esquecido e resgatarmos nossos semelhantes de uma fome avassaladora, que não nos alcançou pelo menos até o presente momento, graças a nossa “Sorte”. Que o “Universo Perfeito” nos ampare nesta empreitada heróica!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Dança da casa

Mudanças sempre são conflitantes: involuntárias atropelam os planos e pessoas no foco de uma nova atitude e voluntárias são planejadas muito embora não evitem a interferência no ambiente de convivência. De qualquer forma o bom humor, a paciência e a determinação ajudam muito a enfrentar qualquer tipo de transformação objetivando o resultado positivo; principalmente quando o “lar doce lar” é o foco. 
Se o lugar onde você mora não combina consigo tampouco com a família, então é hora de mudar: não necessariamente quebrar tudo, mas com criatividade pintar uma cor na parede ou móveis em posições diferentes talvez textura (patna, craquelê ou mosaico) naqueles desgastados; uma capa nova no sofá com almofadas coloridas movimentam a sala. As crianças ganham organização nos brinquedos e livros para sobrar espaço de circulação. O escritório pode ter uma “nova cara” alegre dinâmico sem aquela máscara rígida de trabalho.
Há artesanato com material reciclado (quadros, relógios, prateleiras, móbiles, capas de almofadas, mantas para sofá, etc.), jardins secos (sob a escada vazia) ou verticais para muros da casa (com iluminação discreta oferece um resultado elegante), cortinas novas ou persianas. Enfim aproveite para checar as instalações e o funcionamento pleno consertando o que for necessário; lembre-se que a iluminação solicita lâmpadas econômicas (faça um projeto de iluminação sustentável) e cores claras nos ambientes para expandir dimensões e manter o máximo possível a iluminação natural atuante.
Caso opte pela mudança de endereço não se esqueça de fazer a “dança da casa” agradecendo àquela que você viveu e deixará em pouco tempo, mas também à nova que conhecerá você e a sua família já recebendo energias de amor, alegria e prosperidade – nenhuma mudança conquista o sucesso sem a gratidão pelo que existia e pelo que será conquistado. Assim seja o amor e o sucesso para todos!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A tragédia anunciada

Toda tragédia é um evento anunciado após a lista de vítimas, bem como, a investigação dos fatos e do perfil do agente. Entretanto, tudo poderia ser evitado com um olhar cuidadoso para o semelhante. Crescer juntos. Amar juntos. Evoluir juntos. A técnica do espelho que não somente observamos aquilo que nos outros nos incomoda e supostamente seja nosso defeito, escalando assim uma correção, mas também crescer por dentro e crescer por fora. O espelho também reflete o negativo na realidade: o mal organizado e alimentado dentro de cada pessoa manifesta ações no cotidiano e nos círculos humanos que a envolvem.
Hoje enterramos sonhos? Eu respondo: enterramos sonhos todos os dias quando ignoramos a necessidade do outro, ou ignoramos os sinais da natureza, ou burlamos a lei em proveito próprio. Há leis dos homens, mas há leis do universo, cujo princípio é o amor. Esse sentimento pode curar e pode transformar, mas a ausência pode adoecer e estagnar a vida. Amar é definido em livros, palestras, seminários e demais caminhos, mas o que observamos no exercício da coragem visceral dos olhos do coração é esse sentimento enviar a seta para lugar nenhum.
Amanhã quero uma maternidade em franca movimentação de cidadãos amorosos, não falsos salvadores, nem conselheiros que se escondem na escuridão de seus objetivos capitalistas. A reforma de uma construção retira o que não funciona ou que obstrui o novo, não há diferença na existência, mas o movimento humano distingue o tijolo de um ser vivo e a bacia sanitária quebrada de uma árvore. Então somos realmente animais racionais? Sabemos realmente distinguir as imagens? Através do amor todos os sentimentos se desenvolvem e sucessivamente as necessidades da vida. Olhem para a teia da aranha vigorosamente, deslizem suavemente o foco para o entorno, percebam então que independente dos aspectos adversos, a mesma se basta, ainda se invadida e os fios são rompidos, são passíveis de restauração. Contudo, se extinguir a vida da aranha, a teia sucumbe, uma está intimamente ligada à outra. Assim são o universo, os planetas, a humanidade. O Todo representa a família, portanto somos entidades vivas de um conjunto, não uma entidade isolada, quer em benefício, quer em sofrimento. O pensamento nesse momento e em todos os nossos dias deve ser elevado em busca desse amor que salva. Rogo com todo o amor que existe em mim, que o universo abrace a causa desse pensamento.